Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 19 de novembro de 2016

Joel Canela - ex-vereador



Joel Canela de Oliveira, nascido no Sitio Santana, no município de Felipe Guerra, no dia 13 de julho de 1919, filho de Francisco Canela de Oliveira e Maria Alexandrina Canela. Joel foi um homem de grande destaque em Felipe Guerra/RN. Ocupou a Gerência dos Correios de Felipe Guerra. 

Foi eleito vereador de Felipe Guerra em 1976. Foi candidato a prefeito em 1982, perdendo para Raimundo pascoal. Foi candidato a vice prefeito em 1988, ao lado de Milton Soares perdendo para Hugo Costa. 

Umas das maiores paixão de Joel canela, era sem duvida andar  de motocicleta, por ironia do destino faleceu vitima de acidente de moto no dia 13 de outubro de 1990 em uma viagem que fazia para a cidade de mossoró. Como homenagem foi escolhido o seu nome, como patrono da Câmara Municipal de Felipe Guerra. Era o avô do ex-vereador Joel Canela e bisavô da vereadora Joedna Canela


Fonte: Geraldo Fernandes -Historiador, Pesquisador e membro da Academia Apodiense de Letras(AAPOL)

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Antonio Francisco de Oliveira, patrono de escola

Foto: Antonio Francisco de Oliveira  - Patrono da Escola de nossa cidade. 

O Tenente Manoel João de Oliveira, era filho do capitão Manoel da Costa Travassos e de Maria Leandra Martins de Mácedo. Casou-se com Antônia Maria de Jesus, filha do Alferes José Fernandes Pimenta, que residia no Sítio Brejo do Apodi pertencente nas "Datas do Boqueirão",  onde eram proprietários.  Abastado teve vários filhos entre eles o Tenente Coronel Antonio Francisco de Oliveira que nasceu no Sítio Brejo do Apodi,  no dia 10 de dezembro de 1784, e faleceu em 19 de março de 1871, deixou numerosa família.  Antonio Francisco de Oliveira teve 25 filhos ao todo, entre seus três matrimônios uma de suas filhas chamava-se Caetana Gurgel de Oliveira,  a mesma casou com seu tio Tibúrcio Valeriano Gurgel do Amaral. 

Fonte:  Livro Caraúbas Centenária,  de Raimundo Soares de Brito
Por Geraldo Fernandes - Pesquisador felipense.

domingo, 13 de novembro de 2016

Origem da Família Ramalho

Por Geraldo Fernandes 

Brasão da Família "Ramalho" 

A Família Ramalho é uma antiga e importante família, de origem portuguesa, estabelecida em São Paulo, para onde passou João Ramalho, de Viseu, Capitão Mor de São Paulo, 1562, filho de João Vieira Maldonado e de Catarina Afonso. Casado em Portugal, em 1510, com Catarina Fernandes, chegou à S. Vicente, antes de 1513. Fundador, em 1550, da povoação de Santo André da Borda do Campo. A nobreza paulista se entrelaça na descendência de João Ramalho, que teria vivido mais de 90 anos. João Ramalho foi descrito por escritores, cronistas e cartas de jesuítas. O soturno degredado fugitivo ou náufrago João Ramalho tinha, entre muitas concubinas, a índia Bartyra, portanto sem o controle de registro. Dizem os historiadores que algum membro dessa família veio para Pernambuco e depois para a Paraíba e Rio Grande do Norte. 

A Família Ramalho na nossa região tem suas origens em José Ramalho do Espirito Santo pois o mesmo recebeu uma data de Sesmaria na Várzea do Apodi em 13 de agosto de 1783, essa dita data está encravado na antiga "DATA DE SOBRA DO RAMALHO”, como era conhecida a partir dai a família se espalhou para toda região especialmente no sitio Língua de Vaca e Pedra de Abelhas, e Caraúbas. 

(FONTE: SESMARIAS DO RN - 4º Volume - Coleção Mossoroense/ FVR - Março de 2000

COMO A FAMÍLIA RAMALHO CHEGOU AO DISTRITO DE PEDRA DE ABELHA?

Nos fins do século XX, o jovem Valério Pedro ramalho, que era filho de Manoel Pedro Ramalho e Maria Procópio da Conceição  nascido no Sitio Língua de Vaca, pois Valério Pedro veio para o Distrito de Pedra de Abelha , formando um matrimonio com Maria Marques de Sena , sendo ela filha de Sebastião de Sousa Barra e Capitolina Marques de Sousa. Acontece que a mulher de Valério Pedro ramalho, Dona Maria Marques de sSena faleceu no Sitio Boqueirão no dia 18-6-de 1915, deixando os seguinte filhos:

1°Sebastião José Ramalho 
2° Tereza 
3° Cândido José Ramalho 
4° José batista ramalho 
5° Maria Salomé ramalho 
6° Isauro 
7° Raimunda 
8° Amélia 
9° Sebastiana 
10° Alzira 
11°Luísa

Fonte:  Registro de Óbitos de 1915 (fls ,68,69 v)

*Geraldo Fernandes é Historiador e pesquisador

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

História da Igreja de Cristo em Santana

*Por Geraldo Fernandes


Igreja de Cristo do Sítio "Santana", em Felipe Guerra/RN. Foto: Edvaldo Barbosa 

A Igreja de Cristo no Brasil conhecida também somente como Igreja de Cristo teve início no Nordeste, na cidade de Mossoró (Rio Grande do Norte). Organizada em 13 de dezembro de 1932 por membros oriundos da Assembleia de Deus naquela mesma localidade, os quais entregaram suas credenciais de ministros àquela Igreja, por discordarem de determinados pontos doutrinários.

A denominação surge de uma divergência entre os dois missionários da Assembléia de Deus no Nordeste (Samuel Nysrtron e Gunnar Vingren) com respeito a salvação pela graça por meio da fé, sem a necessidade de méritos próprios (ou seja: sobre se é necessário fazer algo a mais do que acreditar em Jesus Cristo para ser salvo), e a segurança eterna do crente genuíno. A divergência foi evidenciada em algumas publicações, a qual se tornou tema de convenções.

Com essas publicações contraditórias um grupo de religiosos elegeu o Pr. Manoel Higino de Souza, para fazer uma carta ao missionário Nils Kastberg, pedindo para marcar uma convenção onde ele achasse melhor, a fim de que estudassem esses pontos doutrinários.

Enviaram, então, uma carta solicitando a convenção. Em 20 de maio um grupo de dissidentes passou a se reunir em Mossoró para estudos bíblicos, oração e outras práticas, esperando uma resposta divina. Somente em 13 de dezembro de 1932 receberam uma carta, assinada pelo missionário Nils Kastberg, negando a realização da convenção. Na carta o sacerdote dizia “estar de acordo com os ensinos da salvação condicional, e quem estivesse aborrecido que saíssem para onde quisessem...” .

Diante do impasse, diversos pastores, presbíteros e evangelistas resolveram entregar suas credenciais de ministros e fundaram, no mesmo dia, a nova instituição. Inicialmente a denominação surge com o nome de Assembléia de Cristo e em 1934 passou ao nome definitivo de Igreja de Cristo. Para que os membros não confundissem Igreja e Templo os líderes da igreja decidiram usar o nome de Casa de Oração da Igreja de Cristo na frente dos templos. 

Os Líderes iniciais

Pastores:

- Manoel Higino de Souza
- João Vicente de Queiroz
- Gumercindo Medeiros
- Eustáquio Lopes da Silva

Presbíteros:

- Cândido Barreto
- Tomaz Benvindo

Evangelistas:

- João Morais
- Domingos Barreto
- Francisco Alves 

A Igreja de Cristo

Fundação da Igreja de Cristo no Sitio Santana

Depois da divisão da Assembleia de Deus em Mossoró, os Lideres Manoel Higino de Souza - João Vicente de Queiroz- Gumercindo Medeiros- Eustáquio Lopes da Silva , vieram várias vezes no Sitio Santana, afim de construir um templo evangélico na dita comunidade, acontece que somente no final de 1939  é que os lideres da Igreja de Cristo , finalmente encontrou no Sítio Santana a resposta positiva para que foce construída o templo evangélico. 

Como todos sabe a igreja de Cristo da Comunidade de Santana é a quarta Igreja de Cristo mais velha do Brasil, teve ela seu inicio de construção em 1940, pelo construtor Antonio Caboclo, mas somente no dia 28 de agosto de 1946 é que se realizava o primeiro culto evangélico no novo templo. Os fundadores dessa igreja na nossa comunidade foram: (João Cassimiro "Juá",) Aristides Barbosa, Thiago Valentim, Manoel de Líbano, Abel Gomes Duarte, Manoel Valentim Sobrinho. Acontece que a enchente do ano de 1961,  mais precisamente no dia 12 de abril daquele ano,  por volta das 12 horas do dia,  a Igreja de Cristo não suportou a cheia e caiu.

O RECOMEÇO

Quando as águas baixaram, os crentes e os moradores da comunidade aproveitaram as telhas, as carnaúbas e os tijolos e construíram um novo templo, onde de pronto o proprietário Mundinho de Paulo, fez doação do terreno, e no dia 28 de janeiro de 1961 o novo templo já estava de pé para ser reinaugurado e o pregador foi o pastor Pedro Queiros.

*Geraldo Fernandes é Pesquisador e Historiador felipense. 

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Logomarca do segundo governo de Braz Costa(2009-2012)

Prefeitura de Felipe Guerra "Trabalhando Sempre", logomarca do segundo governo de Braz Costa, prefeito de Felipe Guerra de 2009 a 2012. 

sábado, 15 de outubro de 2016

Resultados do pleito de Felipe Guerra urna por urna

Eleições municipais de 02 de outubro de 2016 

prefeito Haroldo Ferreira - Candidato a reeleição pelo PSB 40 


médico Victor Costa - candidato a prefeito pelo PSD 55. 

seção 47 -  Haroldo 167 votos--- Victor costa 165 votos
seção 48  - Haroldo 171 votos--- Victor Costa 163 votos
seção 49  - Haroldo 204 votos ----Victor Costa 144 votos
seção 50 - Haroldo 198 votos ----Victor Costa 148 votos
seção 51  - Haroldo 190 votos ----Victor Costa 156 votos
seção 52  - Haroldo 144 votos ---- Victor Costa 114 votos
seção 53  - Haroldo 182 votos ----Victor Costa 161 votos
seção 54 -  Haroldo 184 votos ----Victor Costa 147 votos
seção 55  - Haroldo 201 votos ---Victor Costa 152 votos
seção 56 -  Haroldo 167 votos ---Victor Costa 176 votos
seção 57  - Haroldo 190 votos ----Victor Costa 162 votos
seção 58  - Haroldo 197 votos --- Victor Costa 150 votos
seção 107 - Haroldo 215 votos --Victor Costa 162 votos
seção 108  - Haroldo 203 votos--- Victor Costa 172 votos
seção 109 -  Haroldo 200 votos --Victor Costa 167 votos
seção 110 -  Haroldo 199 votos --Victor Costa 162 votos
seção 114  - Haroldo 202 votos --Victor Costa 155 votos
seção 150 -  Haroldo 252 votos-- Victor Costa 149 votos

HAROLDO FERREIRA  - TOTAL GERAL 3,466 VOTOS
VICTOR COSTA  - TOTAL GERAL 2,805  VOTOS 

Maioria de  Haroldo foi  de 661 votos.

Fonte: TRE(Tribunal Regional Eleitoral) 

Por  Geraldo Fernandes - pesquisador felipense. 

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Dr. Eilson Gurgel - 1º Prefeito de Constitucional de Felipe Guerra



DR. EILSON GURGEL DO AMARAL, natural do povoado de "Brejo de Apodi", na época pertencente ao município de Apodi,  e atualmente encravado no municipio de Felipe Guerra/RN. Era filho de Tilon Gurgel do Amaral(ex-prefeito nomeado de Apodi). 

No ano de 1965, na primeira eleição municipal de Felipe Guerra, Dr. Eilson Gurgel, foi eleito o primeiro prefeito constitucional do município de Felipe Guerra, em substituição ao prefeito interino José Antônio, (prefeito nomeado pelo então governador Aluízio Alves). Eilson Gurgel governou Felipe Guerra de janeiro de 1965 a janeiro de 1970. 

Faleceu em Natal/RN, no dia 11 de novembro de 2007. É Patrono do Hospital Municipal de Felipe Guerra. 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

José Celestino - ex-vereador


José Celestino de Góis , natural do Sitio Brejo do Apodi, hoje Felipe Guerra, nasceu no dia 7 de março de 1920 , filho de João Pedro de Santana e Maria da Paz Góis , era casado com Rita Maria da Conceição, com quem teve uma filha adotiva, Cleide de Gois Almeida, ex-vereadora de Felipe Guerra.  

José Celestino de Góis ou (Dequinha) foi eleito vereador em Felipe Guerra no ano de 1965 , também foi vice prefeito em 1988. 

A maior paixão de Seu Dequinha era mesmo seu caminhão misto, pois o mesmo durante muitos anos fez a linha Felipe Guerra-Mossoró. 

Seu Dequinha era bastante conhecido em toda região Oeste do Rio Grande do Norte , este velho guerreiro faleceu no dia 12 de março de 1998. 

Fonte: Geraldo Fernandes -Historiador, pesquisador e membro da Academia Apodiense de Letras(AAPOL)

sábado, 6 de agosto de 2016

Posse de Raimundo Pascoal


Ano de 1983 

Posse do prefeito Raimundo Pascoal e José da Silva, seu vice-prefeito, que foram eleitos em 15 de novembro de 1982. Ao seu lado está o ex-prefeito Francisco Chagas da Silva 

Foto: Acervo do pesquisador Geraldo Fernandes.

sábado, 21 de maio de 2016

Salomão Medeiros - blogueiro


Atuando desde o ano de 1996 no jornalismo social do Rio Grande do Norte,quando teve suas primeiras crônicas sociais publicadas no Jornal O Abelhudo, o colunista SALOMÃO DE MEDEIROS LEITE, nasceu na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, Mossoró e desde criança veio residir na cidade de Felipe Guerra no Rio Grande do Norte.

Quando abraçou as primeiras crônicas escritas no Jornal O Abelhudo, à época a publicação editada mensal,circulando nas cidades de Felipe Guerra, Governador Dix-Sept Rosado, Mossoró, Caraúbas, Natal e mais cidades da região Oeste Potiguar do Rio Grande do Norte.

Em sua trajetória na imprensa do Rio Grande do Norte escreveu para o Jornal Padang (Encartado no jornal Diário de Natal) com circulação em todo estado, Jornal do Grande Oeste da cidade de Pau dos Ferros-RN) Jornal Folha Potiguar(Mossoró-RN),Jornal Folha Regional(Pau dos Ferros-RN) e Jornal O Vale do Apodi(Apodi-RN).

Da sua experiência nos jornais impressos no ano de 2004, o colunista Salomão Medeiros esteve seis meses apresentando o programa Salomão Medeiros na rádio Vale do Apodi 1030-kHz aos sábados no horário de 10 às 11 horas da manhã tendo uma das maiores audiências com a versatilidade para conduzir uma programação de uma hora com músicas, notícias, entrevistas e interatividade com os ouvintes de um raio de abrangência de mais de 80 cidades dos estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba.

Dos jornais impressos, rádio e com o advento das mudanças tecnológicas,quando surge uma nova era de comunicação, especialmente o blog, o colunista Salomão Medeiros criou o Blog do Colunista Salomão Medeiros passando a entrar na blogosfera no estado do Rio Grande do Norte no dia 20 de Novembro de 2009.

A data da estreia teve todo um significado especial para ele quando era celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra no Brasil.

Próximo de completar sete anos na blogosfera potiguar, o blogueiro Salomão Medeiros nesse longo período passou a ter inúmeras matérias publicadas no Blog do Colunista Salomão Medeiros (Blog Salomão Medeiros reproduzidas em centenas de blogs, sites e portais de notícias sejam no estado do Rio Grande do Norte ou em outros estados do Brasil.


Entre matérias especiais que ele escreveu recorda-se de uma que teve uma grande repercussão e quando em menos de vinte e quatro horas, a matéria foi reproduzida em mais de 120 blogs, sites e portais de notícias no Rio Grande do Norte.

Para ele a comunicação nos dias atuais, principalmente quando o assunto é sobre blog e sucesso ele diz que não existe segredo para obtê-lo “O sucesso de um blog partirá sempre de produzir conteúdos exclusivos, colhendo sempre as melhores informações e tendo fontes seguras”, confirma o blogueiro Salomão Medeiros.

Da honrosa missão de ser colunista social em jornais impressos quando o impresso viveu seus tempos áureos da década de 90 ao início do ano 2.000, veio outro reconhecimento a nível de outros estados quando ele passou a escrever coluna no site da revista 100 Fronteiras,da cidade de Foz do Iguaçu no estado do Paraná.

Do seu trabalho desde os tempos dos jornais impressos, rádio e o Blog Salomão Medeiros, no mês de Julho de 2015, o blogueiro Salomão Medeiros teve mais outro reconhecimento do seu primoroso trabalho quando recebeu Moção de Congratulações pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (AL/RN), passando-se a ser único Blogueiro da cidade de Felipe Guerra a ser respaldado com seu trabalho reconhecido no estado do Rio Grande do Norte.

Já no dia 17 de Setembro de 2014 em uma nova fase de profissionalização em termos de estética de layout, designer gráfico ele resolveu fazer uma nova investida e mudando o Blog do Colunista Salomão Medeiros para Blog Salomão Medeiros.

O Blog Salomão Medeiros já ultrapassou a marca de mais de 3 milhões de acessos.

❝ Citações Favoritas❞

“Não espere de mim somente palavras suaves, porque palavras que mostram a realidade são verdades que precisam ser lidas e refletidas.” Colunista Salomão Medeiros.

“Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento”. Clarice Lispector.

“Construí amigos, enfrentei derrotas, venci obstáculos, bati na porta da vida e disse-lhe: Não tenho medo de vivê-la.” Augusto Cury.


Fonte: Blog do Colunista Salomão Medeiros, para acessa-lo clique aqui

sábado, 5 de março de 2016

domingo, 24 de janeiro de 2016

Otoniel Maia e o banho de piscina


Mesmo  morando na cidade de Mossoró, Otoniel Maia sempre vinha nos finais de semana para comunidade de Santana. Certo dia, ele veio pela cidade de Caraúbas e ao chegar naquela cidade deu de cara com meu pai Raimundo Fernandes, e seu primo Santiel Pinheiro, ambos moradores da comunidade de Santana. 

Conversa vai,  conversa vem, Otoniel convida os dois para irem com ele até a Santana, convite aceito. nisso meu pai e Santiel entraram no seu carro doge e vieram rumo ao sitio Santana. Ao chegarem perto do Olho d´água do Milho, Otoniel convida os dois para almoçarem naquele luxuoso hotel. 

Nisso meu pai pergunta:
Vocês tem dinheiro ? 
Otoniel responde não! 
Mas vamos já almoçar

Nisso, Otoniel diz ao vigia que queria trés almoços, o vigia manda ele falar com o garçom, 
nisso o vigia chega e Otoniel Maia diz para o garçom que está liso. mas quando ele viesse no outro final de semana pagaria os três almoços. 

O garçom liga para o gerente, mas a determinação é para não vender fiado, haja visto que a tarde ele teria que prestar conta de tudo.  Nisso Otoniel diz: Amigo diga a esse gerente 
que quem tá aqui é Otoniel maia´ locutor da Rádio Tapuio de Mossoró. 
Segunda-feira irei dizer no programa que as piscinas desse Hotel estão dando coceiras, mas uma vez o garçom liga para o gerente e conta com quem está falando, nessa hora o gerente vem pessoalmente e pede desculpa.

Para Otoniel Maia e em seguida determina que o garçom liberasse três almoços e o banho de piscina para o famoso repórter. 

Por Geraldo Gernandes - Historiador, Escritor  e Membro da Academia Apodiense de Letras 

domingo, 15 de novembro de 2015

A árvore genealógica da Família Canela

Por Geraldo Fernandes*

Observando a linhagem Geneológica, observa-se que a família Canela tem sua origem no sitio Pacó, nas divisas de Felipe Guerra, Apodi e Caraúbas. Foi lá onde nasceu José Canela de Oliveira, casado com Antônia Maria de Oliveira, e deste casamento teve vários filhos, sendo eles:
Benigno Canela
João Canela
Sebastião Canela
Lindolfo Canela
Alfredo Canela
Raimunda Canela
Maria Canela
Pedro canela ou Pedrão Canela
Tionila Canela
Francisco Canela

Agora vamos falar desses 10 filhos de Chico Canela.

Quem foi Pedro Canela, ou Pedrão:


Pedrão Canela nasceu no sitio Pacó, casou-se com Maria Mafalda, tiveram os seguintes filhos, José, Francisco, Cleonice, Adalzira, Maria, Analice. Todos eles com descendência na cidade de Caraúbas.

Quem foi João Canela:

João Canela era um dos filhos mais velho de Francisco Canela, casou-se com Maria Valentim de Oliveira, e teve os seguintes filhos: Josefa, mais conhecida por Preta, Rita Canela, Casada com Sebastião de Juá e Sebastião Canela, mais conhecido como Sabá, todos eles nasceram na Comunidade de Santana.

Quem foi Benigno Canela:

Benigno, teve os seguintes filhos, Pedro, mais conhecido com Pedro de Benigno, Alfredo, José e Laura, Laura casada com Zé Pretin.

Quem foi Alfredo Canela:

Alfredo era casado com Maria de Lurdes, mais conhecida por Bilinha, teve duas filhas, Lurdes que se casou com Orlando e Raimunda, mais conhecida como Mundica, casada com Duão, Todas as duas viúvas, residente na Cidade de Mossoró.

Quem foi Raimunda Canela:


Raimunda Canela nasceu e morreu no sitio Pacó, era casado com Manuel de Libano, teve os seguintes filhos: Francisca, mais conhecida por licor, Raimunda mais conhecida por Nova, e José casado com dona Da luz, teve vários filhos, entre eles Dourado Residente no Sitio Pacó.

Quem foi Tionila Canela:

Tionila Canela era casada com Pedro de Galdêncio,teve vários filho, mais destaco Francisco de Pedro , que venha ser o pai de Tótó, que reside na cidade de Felipe Guerra.

Quem foi Maria Canela:

Maria Canela era casada com Adelino Nogueira, teve os seguintes filhos: Raimundo, Sebastião, Maria, Amélia, Francisco, Josefa, mais conhecida por Zebra, Luiz de Adelino e José mais conhecido por Geder, e João de Adelino que venha ser o pai de Paulo, que é marchante na cidade de Felipe Guerra.

Quem foi Petronila Canela:

Petronila Canela era casada com Antonio Dolina, sem descendência.

Quem foi Francisco Canela:
Francisco Canela era casado Alixandrina Canela, tendo ele nascido no sitio Pacó, o mesmo foi assassinado no dia 12 de junho de 1927, pelo bando de Lampião, nas proximidades de Lucrécia/RN, o mesmo trabalhava para Egídio Dias, grande fazendeiro daquela paragem. Ele deixou os seguintes filhos: Tertolino Canela, com descendência em Umarizal, José Canela pai de Duque, marido de Aní, Francisco Canela, mais conhecida por “Biluquinha”, Moça Velha, Antônia, Francisco ou Canivete Pai de Olivar, Pedro Canela, Pai do saudoso Milton Canela, Tião Canela, pai de Dona Selma esposa de Raimundo de Juá, Adélia e Amélia, teve também Joel Canela, casado com Dona Margarida, teve uma Próli de 9 filhos, sendo eles: Manuel de Joel, Davi, Joel filho ou Pedro Cego, Lavor, Jacó, Jeieu, Ione e Ivone, Joel Também teve 2 filho de um relacionamento Extra-Conjugal, sendo eles Alcivan e Alcineide.

Dos filho de Alexandrina Canela com Francisco Canela, Joel Canela foi o ]que teve mais projeção, pois o mesmo era dono de Grande propriedade de terra, nas comunidades de Santana, Apanha-Peixe, Coti e Carnaubinha, Joel Canela também foi empregado dos Correios aonde chegou perder o dito emprego por perseguição Política, mais teve o emprego de volta a pedido de Café Filho, presidente da republica da época, pois próprio Joel teve uma audiência com o presidente Café Filho na Capital federal que nesta época era Rio de Janeiro, Joel Canela também foi vereador em 1976, chegou a ser presidente da camará municipal, candidato a prefeito em 1982 e candidato a vice-prefeito em 1988.

Agora Veja Alguns Mandatos da Família Canela: 

1965 – Milton Canela é eleito Vereador
1976- Joel Canela de Oliveira é eleito vereador
1982- Olávio Barboza é eleito vereador com 206 votos
1988 – Joel Canela de Oliveira Neto é eleito vereador com 196 votos
1892 – Joel Canela de Oliveira Neto é eleito vereador com 319 votos
1996 – Joel Canela de Oliveira Neto é eleito vereador com 267 votos
2000 – Joel Canela de Oliveira Neto é eleito vereador com 340 votos
2012 – Joedna Canela é eleita vereadora com 315 votos.
 
*Geraldo Fernandes é pesquisador, Escritor, Colunista da Rede News 360 e Membro da AAPOL(Academia Apodiense de Letras) 

sábado, 3 de outubro de 2015

A origem do Sítio Passagem Funda

O sitio Passagem Funda, teve no paraibano Domingos Alves Ferreira Cavalcante, o seu primeiro povoador, tendo ele chegado por volta do ano de 1780, através de convite que lhe foi feito pelo seu primo Capitão Leandro Bezerra Cavalcante, pernambucano do cabo fundador de Caraúbas/RN, Leandro era casado com Britis Lins de Vasconcelos, falecida no dia 18 de dezembro de 1791, este Domingos Alves Ferreira Cavalcante, era tão importante para se der uma idéia, ele tinha dois irmãos que participaram ativamente da Revolução de 1817 do Rio Grande do Norte, os senhores capitão Antonio Alves Ferreira Cavalcante, capitão do regime de cavalaria da Vila de Portalegre, e Manuel Januário Bezerra do Cavalcante que foi preso e depois anistiado em 1821, estes dois revolucionários tinham contato direto com os também revolucionário da Vila de Apodi, poucos sabem mas todos aqueles que trazem o sobrenome familiar Cavalcante em Felipe Guerra, Apodi e Região descende do patriarca Domingos Alves Ferreira Cavalcante que faleceu no Sitio Passagem Funda no dia 20 de outubro de 1830, segundos os pesquisadores é que a enorme casa daquele sitio foi edificada, no ano de 1800, com recurso próprio de Domingos, ele tinha também um outro irmão, que era Capitão e tinha muita atuação na cidade de Açu, era José Joaquin Bezerra Cavalcante nascido na Paraíba no ano de 1777 e faleceu em Açu em 1859. (Fontes: Borges da Fonseca e Marcos Pinto)

O sitio Passagem Funda foi o primeiro núcleo estradeiro do município de Apodi, surgiu como local de repouso e abrigo para os comboieiros que descia a região do alto oeste com destino a Mossoró, para aonde levava algodão e voltava carregado com sal e outro gêneros mercantis até o ano de 1949, ligava as ares povoada do interior ao efervescente comercio de Mossoró, o trajeto dessa estrada começando do apodi seguindo pela várzea até o sitio Passagem Funda, e depois Mossoró atravessava-se o rio em vinte lugares distintos. O Sitio Passagem Funda é um ameno recanto protegido por Íngremes, capas da serra que proporcionava a improvisação de estabelecimento coraleiro para o descanso das caravanas comercias os conhecido comboios que viajavam rumo a Mossoró, formando ali trafego intenso de mercadoria, varias ao fluxo comercial, acresceu-se a chegada de povoadores. Nas abordagens históricas empreendidas em antigos inventários encontra-se o inventario dói patriarca da família Cavalcante, Domingos Alves Ferreira Cavalcante, que era casado com Maria Joana, e a mesma faleceu no Sitio Passagem Funda no dia 6 de junho de 1862, deixando os seguintes filhos: Maria Clara Alves Bezerra Cavalcante, Francisco Alexandrina Ferreira Cavalcante e Domingos Ferreira Cavalcante Junior, Manoela, João Regis Cavalcante, José Alves Cavalcante, Maria , Antonia e Antonio, Tristão e Maria Ângela. A matriarca Agostinha Donato de Souza faleceu no sitio Passagem Funda em dezembro de 1889 aos 33 anos de idade, e era filha de Bonifácio José Ferreira Cavalcante, Idonata Marques de cena, e era casada com o senhor Leonardo Bezerra Cavalcante e foram pais de José que nasceu em 1882, Antonio que nasceu em 1886, e Antonio que nasceu em 1885, Izolina Rita Cavalcante que é a mesma Izolina Bezerra Cavalcante, Casou com o senhor José Raimundo de Souza, que foi o pai do senhor Julio Cavalcante ex-vereador e auditor Fiscal, que era casado Alicia Elzida de Góis. (Fonte: Marcos Pinto)

A FUNDAÇÃO DA IGREJA


Depois da morte de Domingos Alves Cavalcante em 1830, houve a partilha de bens pelos seus familiares, e Paulo Alves Januário adquiriu essas ditas terras, mas por volta de 1844 Pedro José Barra, cassou-se com Maria eduwirgem e compraram a propriedade de Paulo Alves Januário o Sitio Passagem Funda, e lá estalaram sua residência e sua atividade agrícola, e nasceram deste casal, Maria eduwirgem Filha e Maria da conceição Barra, Josefa da Conceição Barra, Pedro José de Souza, Geraldo de Souza Barra, Sebastiana Eduwirgem de Souza e Antonia Mafalda do Patrocínio, em 1881 faleceu Pedro José Barra, Casou três anos depois a sua viúva com o irmão do seu falecido marido André de Souza Barra, e deste matrimonio nasceram dois filhos, Paulo Carlos Barra e Maria da Conceição Barra. No ano de 1901 Maria de Souza Barra doava a São Pedro padroeiro do lugar dois terrenos no Sitio Passagem Funda, onde foi de pronto edificado a capela e outro terreno de carnaubal no Sitio São Gonzalo, como fonte de renda da igreja de São Pedro no Sitio Passagem Funda, passado alguns anos em 1913 foram trocado as imagens de São Pedro e São Paula e Nossa Senhora de Lurdes, essas imagens foram transportada nas cabeças dos fieis de Mossoró até o local da capela em festejos em todo o percurso pelos habitantes a margem da estrada.

Inventário de DOMINGOS ALVES FERREIRA CAVALCANTE - 1830.

Casado com Maria Joana do Espírito Santo. Pais de:

1. Maria Clara c.c. Vicente Ferreira Pinto Júnior

2. Francisca Bezerra c.c. José Joaquim Bezerra Cava

lcanti Júnior

3. Domingos, 19 anos

4. Manuela, 17 anos

5. Antonio, 16 anos

6. João, 14 anos

7. José, 13 anos

8. Mariana, 10 anos

9. Antonia, 8 anos

10. Tristão, 5 anos

11. Maria, 3 anos

Obs.: o inventário foi feito na Vila da Princesa, mas encontra-se em Apodi.
Fonte: Marcos Antonio Figueira

Por Geraldo Fernandes 

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Eleições municipais de 1992 em Felipe Guerra/RN

Raimundo Pascoal e Manoel Rufino, candidatos a prefeito e vice-prefeito nas eleições de 1992

Raimundo Luciano da Costa Pascoal e Manoel Rufino da Costa, respectivamente candidatos a prefeito e vice-prefeito de Felipe Guerra nas eleições de de 04 de outubro 1992, essa chapa saiu vitoriosa obtendo 2.178 sufrágios. 
Enquanto a chapa opositora formada por Francisco Assis de Lima, vulgo "Assis Domingos"(candidato a prefeito) e Zé Guerra(candidato a vice-prefeito) obtiveram apenas 1.477 votos.
Raimundo Pascoal e Manoel Rufino assumindo em 01º de janeiro de 1993, onde permaneceram no cargo até 1996.


Fonte: Geraldo Fernandes - Historiador e Membro da Academia Apodiense de Letras(AAPOL)